Projeto

Cultura

Candyall

E TAL

Um palco a céu aberto de ocupações criativas e expressões culturais que se misturam num movimento vivo em nome da arte, das relações humanas, da vida. A cidade vai para o Guetho, vibrar, festejar e partilhar da herança cultural e musical de um dos bairros mais representativos de Salvador, o Candeal Pequeno.

Esse é o Candyall e Tal, um festival de arte urbana que tem o objetivo de celebrar a riqueza cultural emanada do bairro,  intercambiando linguagens artísticas e criações funcionais, abrindo espaço tanto para as produções locais dos moradores quanto para manifestações de outros territórios criativos fora do Candeal.

O projeto é desenvolvido junto à comunidade, com parcerias públicas e privadas, e já contou com a presença de milhares de pessoas em suas quatro edições (2015, 2017, 2018 e 2019). Em todas elas, característica marcante é a variedade de intervenções e linguagens culturais que vão desde apresentações de música, dança, teatro, gastronomia, moda, artesanato e arte urbana. Outro componente importante é a geração de trabalho e renda, movimentando o comércio local e promovendo o turismo de base comunitária.

O festival é conhecido por reunir artistas locais e expoentes da cultura brasileira. Nomes renomados do cenário nacional como Lenine, Iza, Ed Motta, BNegão, grupos musicais baianos como BaianaSystem e MiniStereo Público, além de artistas consagrados do estado, como Carlinhos Brown, Margareth Menezes e Saulo Fernandes, já celebraram o fazer percussivo nos ritmos do Candeal Pequeno com apresentações marcantes no palco do Candyall Guetho Square.

O Candyall e Tal também é a oportunidade de consagrar e legitimar os espaços públicos da comunidade em ocupações sociais criativas, onde as atrações musicais e artísticas no decorrer dos dias do festival se espalham por locais e pontos representativos da memória coletiva e afetiva do Candeal Pequeno, como a Praça das Artes, o Largo de Israel, a Bica, a Escadaria do Zé Botinha, a Escadaria Zap e o Candyall Guetho Square.

Um festival multicultural de arte urbana que celebra a coletividade e a ancestralidade, ao construir um arcabouço material e imaterial, fomentando a economia local e promovendo o turismo na região. Nas palavras de Carlinhos Brown, o Candyall e Tal é o momento da “rua ir para o Guetho e o Guetho ir para a lua!”, colorindo o território com toda a sua efervescência cultural e pluralidade de expressões, se tornando cada vez mais uma presença indispensável na agenda cultural de Salvador.

Edições do Candyall e Tal:

Nalata

É um laboratório vivo de música percussiva que marcou a história do Candeal Pequeno entre os dias 26 e 28 de fevereiro de 2016, em um encontro global de culturas, ritmos e conceitos, O NALATA – Festival Internacional de Percussão, reuniu grandes talentos da percussão nacional e internacional em uma viagem às raízes da estética rítmica de matriz africana, transformando o palco do Candyall Guetho Square em uma paisagem sonora tecida pela genialidade de muitas mãos.     

Viabilizado com as políticas públicas de incentivo à cultura, em parceria com o poder público (estadual e federal) e empresas, o NALATA congregou diferentes gerações de percussionistas das mais variadas nacionalidades e influências que partilharam as riquezas técnicas da percussão e suas derivações sonoras. Durante os três dias, a grade de apresentações musicais convidou o público para um passeio pelos três estilos contemporâneos da percussão (de efeito, de rua e eletrônica), explorando cada um deles a partir de trocas, experimentos e práticas no palco e nas ruas do Candeal Pequeno.

Muito mais do que um festival de shows musicais, o NALATA se configura como um movimento de cultura com iniciativas voltadas para a música em toda a sua cadeia produtiva valorizando todo um conjunto estético de produção e execução musical. Além das apresentações, em sua primeira edição, o NALATA também promoveu um encontro de música e empreendedorismo, uma palestra com gestores de cooperativas de materiais reciclados e ainda uma exposição

com profissionais baianos especializados na criação de instrumentos musicais exclusivos e originais.

No intercâmbio artístico internacional, o NALATA contou com presenças ilustres a exemplo de um dos percussionistas mais influentes do mundo, o cubano Jose Luis Quintana, mais conhecido como Changuito, criador do Songo, uma combinação de instrumentos de percussão e técnicas de baquetas com as mãos. Também recebeu talentos do jazz latino, como os venezuelanos Orlando Poleo e os primos Luisito Quintero e Roberto Quintero; o grupo Frapadingos, composto por músicos sulamericanos; e referências africanas como o senegalês Doudou Rose Thiooune e angolano Vavá do Kwanza Sul.

Essas atrações internacionais se uniram a músicos que fizeram o caminho inverso, ao difundirem a percussão tocada no Brasil para o mundo, como a lenda pernambucana Naná Vasconcelos, e o artista baiano Carlinhos Brown, criador do importante movimento percussivo dos anos 80, o Vai Quem Vem. Além deles, se somaram nomes como Japa System, Pradarrum, Patubatê, Opanijé, Peu Meurray, Orlando Costa, Bacia Sonora, e ainda grupos nascidos no Candeal Pequeno, como Buginganga e Tribal Contemporâneo.

Um movimento de cultura que consolidou a memória coletiva de um bairro historicamente pulsado pelas percussões e que viu a sua paisagem sonora já reconhecida se transformar em um grande ponto de encontro, ao conectar artistas soteropolitanos com renomadas atrações internacionais da música percussiva.

WORKSHOPS

E SEMINÁRIOS

Com o objetivo de propiciar um intercâmbio de saberes no Candeal Pequeno entre os artistas da comunidade e demais artistas brasileiros e internacionais, a Associação Pracatum tem se articulado para oferecer workshops e seminários na cadeia produtiva da cultura.

Um evento marcante de workshops, promovido pela Associação Pracatum, foi o Encontro de Conversas Musicais – Encontre-$e, em 2018, no Guetho Square, que contou com a participação de músicos conhecidos do cenário brasileiro, como o rapper Rashid e o compositor e cantor Manno Góes, para debater sobre o desenvolvimento da música na atualidade.

A efervescência artística e cultural tão presente na história do Candeal Pequeno é representada também na organização de oficinas musicais com a presença de atrações internacionais. Também no Guetho Square, a Associação Pracatum promoveu uma clínica musical e um workshop, respectivamente, com os guitarristas estadunidenses Paul Gilbert e Steve Vai.

Além deles, a Associação Pracatum já organizou a vinda do baterista marroquino Mokhtar Samba para um encontro sobre Criação e Transformação Musical, e uma oficina de Arranjo Musical e Harmonia na Música Popular, que foi oferecida pelo compositor e educador musical húngaro Ian Guest.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.

Pesquisa

A Associação Pracatum tem desenvolvido pesquisas na área da música e partilhado seus processos e resultados da produção de conhecimento. Confira abaixo as publicações editoriais:

Reúne a produção de conhecimento acadêmico e a vivência de mestres e percussionistas envolvidos no processo de invenção do samba-afro e do samba-reggae.

Em um estudo sobre a música popular brasileira, o livro propõe uma leitura híbrida que articula escrita musical e estratégias culturais, ao oferecer para o leitor um cenário amplo que permite formular algumas respostas para processos de invenção rítmica, sobretudo, ocorridos nas décadas de 1970 e 80.

Organizado em capítulos, o Afrobook I apresenta um panorama histórico-antropológico da cidade de Salvador-BA, destacando a diversidade étnica dos africanos e os modelos religiosos, bem como as matrizes rítmicas que se deslocaram dos terreiros para modelar os estilos populares focalizados, ganhando uma faceta profana.

O livro também conta sobre as agremiações carnavalescas que realizaram o processo de invenção rítmica do samba-afro e do samba reggae, e apresenta um trabalho de transcrição dos ritmos em pentagramas.

Link para o Afrobook em formato de audiolivro:
https://soundcloud.com/daccordmusic/afrobook

Resultado de um processo sonoro exploratório de ensino e aprendizagem realizado pela Pracatum – Escola de Música e Tecnologias, envolvendo 16 jovens alunos. Um laboratório de pesquisa rítmica foi fundado com o objetivo de experimentar novas sonoridades e explorar conexões com o universo atual da música percussiva afrobaiana.

A pesquisa evidenciou os instrumentos percussivos, inventados ou modificados no bairro Candeal, durante o movimento cultural Vai quem Vem, no centro da criação musical. A coleta e geração de dados da pesquisa se deu por meio da gravação dos exercícios, das técnicas de execução e da transcrição de partituras, envolvendo práticas orais e a escrita universal da música.

O livro ainda traz experimentos sonoros realizados no laboratório que destacam o protagonismo dos tambores no processo de invenção musical. O leitor tem a possibilidade de acessar um material de estudo para a sua prática musical, desde os saberes musicais que transitam da tradição do candomblé de Angola, à paisagem pop-urbana do Candeal Pequeno.

Link para os áudios do e-book Kandengue Tambor:
http://www.kandenguetambor.com.br/

O projeto, lançado em 2019, aliou a música no processo de aprendizagem das crianças da rede municipal de ensino de Salvador. A iniciativa foi uma pesquisa musical pedagógica desenvolvida pela Associação Pracatum, em parceria com a Prefeitura de Salvador, por meio da Secretaria Municipal de Educação.

No total, foram criadas 60 músicas de arranjo e sonoridade baianos, inéditas ou adaptadas do cancioneiro popular, direcionadas para darem suporte didático aos programas educacionais do 1º ao 5º ano das escolas municipais. Um trabalho focado em desenvolver as competências cognitivas e as habilidades dos estudantes de maneira lúdica e criativa.

A concepção das canções envolveu uma equipe multidisciplinar, composta por arte-educadores, pedagogos e músicos, que trabalharam na pesquisa de ritmos associados com os temas tratados nas aulas e propuseram sugestões pedagógicas aos professores.

Participaram das gravações 65 músicos baianos, dentre eles, nomes renomados do cenário musical brasileiro como Gilberto Gil, Arnaldo Antunes, Claudia Leitte, Daniela Mercury, Luiz Caldas, Flávio Renegado, Saulo Fernandes e Margareth Menezes.

Pracatum

INGLÊS

Fundada em 2005, a Pracatum Inglês é um programa de ensino que atende crianças (Kids) e adolescentes (Teens), com duração de 4 anos cada.

A metodologia desenvolvida pela Pracatum Inglês está no diálogo e alinhamento entre a teoria em torno da aprendizagem da nova língua e as práticas culturais cotidianamente vividas e trocadas pela comunidade do Candeal Pequeno. O objetivo é aproximar o rico universo desses símbolos culturais produzidos e perpetuados no bairro, aproximando-os com os conteúdos didáticos presentes nos currículos.

Desde sua criação, a Pracatum Inglês já atendeu cerca de 400 alunos e foi reconhecida com o prêmio de Pontinho de Cultura em 2013, realizado através do Programa Cultura Viva, do então Ministério da Cultura.

Outros

Projetos Pracatum

Cultura

Ensino de inglês que atua no Candeal e atende atualmente crianças e adolescentes da comunidade.

Educação

Ensino de inglês que atua no Candeal e atende atualmente crianças e adolescentes da comunidade.

Desenvolvimento Comunitário

Um conjunto de ações integradas e sustentáveis com foco na inclusão produtiva de mulheres.

Bottom Image