Novidades

28 de abril de 2015

Candeal virou palco a céu aberto na estreia do Candyall e Tal



IMG-20150427-WA0051

Se alguém que compareceu à estreia do Candyall e Tal no último sábado nunca havia presenciado um festival de arte urbana, ali o conceito desse tipo de evento se revelou. O Percussivo Pracatum abriu as atividades artísticas no Candeal Pequeno de Brotas, às 16 horas pontualmente, com a presença do cacique Carlinhos Brown.

Mentor do levante cultural que mudou a história do bairro no final dos anos 80, Brown fez questão de andar pelas ruas, cumprimentar artistas, público e comerciantes da comunidade que estavam ali para ver e viver aquele dia de festa. O clima era de celebração, afinal cada espaço do bairro virou palco ao céu aberto e até o sol colaborou.

“Esse o movimento é uma forma de ocupação social dos espaços públicos, que conta com o talento e a participação de cada um da comunidade. Não há mérito nenhum em colaboração social. Isto é feito por pessoas para pessoas, e é ideal para que o cidadão não caia na ociosidade. A arte tem esse poder”, disse o cantor, multi-instrumentista e presidente da Associação Pracatum.

Difícil foi conseguir ver tudo que aconteceu. Na Bica, a banda de percussão vinda do Rio de Janeiro, Tcha Degga Da; na Praça das Artes o palhaço Fernando Espiga rodeado de crianças, o clarinetista Ivan Sacerdote no Palquinho do Zé Botinha; o Ballet da Funceb no Largo do Israel; o grupo cultural Lindro Amor num belo desfile pelas ruas…

Ainda teve aula-show com a chef de cozinha Tereza Paim. Ela ensinou a receita do seu bolinho de feijoada, ao lado de Dona Carmé, famosa no bairro pela sua feijoada e cozido. Agora a iguaria de Tereza passa a fazer parte do cardápio de Carmé. A proposta da curadora do projeto de gastronomia do festival, Leka (Alessandra Hatori) é exatamente essa: intercâmbio de receitas e visibilidade para a culinária do Candeal.

A noite terminou no Guetho Square, para alegria de quem não conhecia o espaço e mais ainda para quem tem naquele lugar uma fonte de agitadas lembranças dos ensaios da Timbalada nos anos 90. O lugar foi invadido por um repertório selecionadíssimo que reverenciou os ritmos percussivos nascidos no Candeal. Os 13 músicos presentes no palco, muitos filhos do Candeal Pequeno de Brotas, tocaram fazendo sua percussão dialogar com clássicos da música universal numa jam session que teve como convidado de honra o músico de sopros carioca Carlos Malta. Um bálsamo para os ouvidos e olhos de quem esteve lá.

Candyall e Tal – 1º Festival de Arte Urbana é uma realização da Associação Pracatum, com patrocínio da Prefeitura de Salvador, da GVT e do Governo do Estado, através do Fazcultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. O festival volta a acontecer em mais três edições, nos dias 2, 9 e 16 de maio.

Texto: Tatiane Freitas – Viva Interativa


Compartilhe